Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008
Personalidades

Teixeira de Pascoaes(Poeta e prosador)

Teixeira de Pascoaes nasceu a 2 de Novembro de 1877 na freguesia de São Gonçalo em Amarante e morreu a 14 de Dezembro de 1952 no Solar de Pascoaes em Gatão.

Em 1896 vai para a Universidade de Coimbra frequentar o Curso de Direito. Em 1901 com o seu curso já acabado regressa a Amarante onde começa a exercer a advocacia, abrindo um escritório na cidade do Porto. Contudo em 1911 é nomeado juiz substituto em Amarante onde só exerce até 1913. A partir de 1913 abandona a sua carreira e refugia – se na Casa de Pascoaes para ser só poeta e viver em sintonia com a natureza.

Porém em 1911 participou em várias revistas, como por exemplo, “ A Águia”.

Teixeira de Pascoaes caracterizou - se por ser essencialmente um saudosista.

 

Bibliografia (Nota: Nesta bibliografia só estão presentes os livros mais importantes)

 

  • 1895 – Embryões (poesia)
  • 1896 – Belo (poesia) – 1ª parte
  • 1897 – Belo – 2ºparte
  • 1898 – À Minha Alma e Sempre (poesia)
  • 1901 – À Ventura (poesia)
  • 1904 – Para a Luz ( poesia)
  • 1906 – Vida Etérea (poesia)
  • 1907 – As Sombras (poesia)
  • 1909 – Senhora da Noite (poesia)
  • 1911 – Marânus (poesia)
  • 1915 – A Arte de Ser Português (prosa didáctica)
  • 1916 – A Beira Num Relâmpago (prosa)
  • 1921 – O Bailado (prosa filosófica) e Cantos Indecisos (poesia)
  • 1923 – A Nossa Fome (prosa filosófica)
  • 1924 – A Elegia do Amor (verso) e O pobre Tolo
  • 1925 – D. Carlos (poesia); Cânticos (poesia); Sonetos
  • 1926 – Jesus Cristo em Lisboa (peça de teatro escrita em colaboração com Raul Brandão)
  • 1928 – Livro de Memórias (prosa autobiográfica)
  • 1934 – S. Paulo (biografia romanceada)
  • 1936 – S. Jerónimo e a Trovoada (biografia romanceada)
  • 1937 – O Homem Universal (prosa filosófica)
  • 1940 – Napoleão (biografia romanceada)
  • 1942 – Camilo Castelo Branco O Penitente (biografia romanceada); Duplo Passeio (prosa)
  • 1945 – Santo Agostinho (biografia romanceada)
  • 1949 – Versos Pobres

...................................................................................................................

 Acácio Lino (Pintor)

 

Acácio Lino de Magalhães nasceu a 25 de Fevereiro de 1878 na casa da Pedreira na freguesia de Travanca e notabilizou -se como pintor.

Estudou na Academia Portuense de Belas Artes onde mais tarde viria a leccionar a disciplina de Desenho Histórico. Com o final do curso foi admitido como bolseiro do Estado e parte para “cidade luz” onde convive com grandes nomes da pintura, escultura, arquitectura, medicina e politica.

Em 1927 foi premiado com a Medalha de Honra atribuída pela Sociedade Nacional de Belas Artes e em 1940 e 1941 distinguido com a Medalha da Cidade do Porto.

Acácio Lino tinha uma paixão pela pintura, nas áreas do desenho histórico, da pintura paisagística e do retrato.

As suas obras artísticas encontram - se em exposição no Museu Nacional de Arte Contemporânea, em Lisboa, Museu de Soares dos Reis, no Porto,

Museu Grão Vasco em Viseu e o Museu José Malhoa, nas Caldas da Rainha.

Acácio Lino morre em 1956 na cidade do Porto.

Paisagem. Oléo sobre madeira,assinado.

Dim. 19x26cm

Paisagem de Águeda.Oléo sobre madeira,

assinado e datado de 1922.

Dim. 26,5x39,5cm

......................................................................................................................................

Alexandre Pinheiro Torres (Poeta,ensaísta,critico,romancista,professor, interventor)

Alexandre Pinheiro Torres nasceu na freguesia de São Gonçalo no concelho de Amarante no dia 27 de Dezembro de 1923.Tirou um Bacharel em Ciências Físico - Químicas na Universidade do Porto e licenciou – se na universidade de Coimbra no Curso de Ciências Histórico – Filosóficas e por isso cedo se destacou como intelectual pois era contra à ditadura de Salazar.

Em 1965 e depois de pertencer ao Júri do Grande Prémio de Ficção onde se destaca, recebe vários convites para dar aulas no estrangeiro. No entanto, aceita o convite da Universidade de Cardiff, no País de Gales. Contudo só regressa a Portugal de passagem ou para passar férias

Durante a sua vida foi distinguido com vários prémios.

 

Bibliografia

Poesia

·         1950 – “Novo Génesis”

·         1953 – “A Voz Recuperada”

·         1972 – “A Terra do Meu Pai”

·         1984 – “A Flor Evaporada

Ensaio

 

·         1967 – “ O Mundo em Equação”

·         1977 – “ O Nero – Realismo Literário Português”

·         1989 – “ Ensaios Escolhidos I ”

·         1990 -  “Ensaios Escolhidos II “

 

Romance

·         1977 - “A Nau de Quixibá”

·         1987 - “Espingardas e Música Clássica”

·         1992 - “O Adeus às Virgens”

·         1995 - “A Quarta Invasão Francesa”

·         1999 - “Amor, Só Amor, Tudo Amor”

......................................................................................................................

António Cândido (Político e orador)

António Cândido nasceu na freguesia de Candemil a 29 de Março de 1850. Doutorou - se na Faculdade de Direito e Teologia da Universidade de Coimbra, onde mais tarde veio a ser lente catedrático por nomeação em 1881.

 

António Cândido era nacionalmente conhecido como “Águia do Marão” devido aos seus talentos oratórios.

António Cândido foi membro do Partido Progressista, deputado para as Câmaras. Em 1891 foi eleito par do reino, tomando assento na Câmara. António Cândido foi ainda ministro, Conselheiro do Estado, Presidente da Câmara dos Pares e Procurador-geral da Coroa que desempenhava quando foi proclamada a República. Foi ainda, vice - presidente da Academia das Ciências,  pertencendo a presidência ao Rei.

Em reconhecimento, Amarante atribuiu o seu nome a um dos mais emblemáticos locais da cidade, onde aí se construiu uma estátua em bronze da autoria do escultor Henrique Moreira.

 

A sua bibliografia é muita vasta e por isso dá - mos alguns exemplos:

 

  • 1878 - Princípios e questões de philosophia política por António Cândido Ribeiro da Costa
  • 1890 - Discursos e conferencia por António Cândido

.................................................................................................................................... 

                               Augusto Casimiro (Escritor e militar)

Augusto Casimiro nasceu na freguesia de S. Gonçalo a 11 de Maio de 1889 e notabilizou - se por ser um poeta de grande emoção e sensibilidade e militar ilustre.

Frequentou a Universidade de Coimbra e a Escola do Exercito onde fez o curso de infantaria.

Augusto Casimiro desempenhou vários cargos como, Governador do Congo e Encarregado do Governo geral de Angola.

Recebeu várias condecorações, como por exemplo, a Cruz de Guerra, fourragére de Torre e Espada, Ordem de Cristo, medalha de Ouro de Bons Serviços, Military Cross, Legião de Honra, Ordem de Aviz e Santiago.

Augusto Casimiro colaborou em vários jornais e revistas como foi Director da Seara Nova. De entre todas as suas publicações destacamos aleatoriamente:

  • 1906 - “Para a Vida”
  • 1919 - “A Vitória do Homem”
  • 1915 - “Primavera de Deus”
  • 1919 - “Nas Trincheiras da Flandres”
  • 1942 - “A Vida Continua”
  • 1947 - “Lisboa Mourisca”
  • 1950 - “Portugal na História”
  • 1956 - “Dona Catarina de Bragança, Rainha de Inglaterra, Filha de Portugal

 ...........................................................................................................

António Carneiro (Pintor)

 

 

António Carneiro distinguiu - se por ser um pintor e um desenhador, nasceu na S. Gonçalo concelho de Amarante a 16 de Setembro de 1872 e morreu em 31 de Março de 1930. Fez o curso na Escola de Belas Artes, no Porto e na Academia Julien, de Paris onde foi discípulo de Benjamim Constant e J. Paul Laurens.

António Carneiro deixou uma variada obra que o afirmou como um dos maiores pintores portugueses do seu tempo. Os seus retratos a sanguínea ficaram celebres. António Carneiro era um aguarelista de larga técnica de mancha, pintor de óleo pujante e conhecedor de todos os segredos da técnica, e por isso deixou quadros magníficos e decorações magníficas, como o tecto da sala de leitura da Bolsa do Porto ou as do Palácio Baraona, em Évora.

António carneiro encontra - se representado em bastantes museus e são celebres quadros como: “Camões lendo os Lusíadas aos frades de S. Domingos”; “A fonte do bem”;”Ecce Homo”,”A Ceia” e “O baptismo de Cristo”. O Museu de Amadeo de Souza – Cardoso consagrou – lhe uma sala onde estão expostos alguns quadros.

 

Reflexos datado de 1921.

Oléo sobre madeira. Dim 15,3x23,5cm

 

......................................................................................................

Agustina Bessa Luís (Escritora)

 

Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa nasceu no concelho de Amarante, na freguesia de Real a 15 de Outubro de 1922.Agustina Bessa Luís tem -  se distinguindo com obras grandiosas  ao nível do romance, teatro e mais recentemente no cinema em que trabalhou com o realizador Manoel Oliveira e na televisão.

Colaborou em vários jornais e revistas, como por exemplo, “Diário de Noticias”, “O Século”, “Diário de Lisboa”, “Diário Popular”, “Diário do Norte”, “Jornal de Notícias”, “O Comércio do Porto”, “Paragone” (Florença), “Eco” (Bogotá -

 Colômbia), “Jornal de Letras e Artes”. Todavia em 1953 ganha o prémio Delfim Guimarães com o romance “A Sibila” em 1954 com o mesmo romance recebeu o Prémio Eça de Queiroz.

A convite de Santana Lopes quando este era ainda Secretário de Estado da Cultura, foi directora do Teatro Nacional D. Maria II e fez parte da Fundação de Serralves. Porém foi ainda directora do “Primeiro de Janeiro”, cargo que abandonaria por incompatibilidade com a administração.

Em 2004 conquistou o Prémio Camões.

 

Alguma bibliografia:

 

·         1948 - “Mundo Fechado”

·         1950 - “Os Super – Homens”

·         1951 - 54 - “Contos Impopulares”

·         1953 - 54 - “A Sibila”

·         1957 - “A Muralha”

·         1958 - “O Susto”

·         1963 - “O Sermão do Fogo”

·         1963 - “As Relações Humanas”

·         1977 - “As Fúrias”

·         1979 - “Conversações com Dimitri e outras fantasias”

·         1982 - “Longos dias têm cem anos”

·         1983 - “Os meninos de ouro”

·         1984 - “Um bicho da terra”

·         1986 - “A bela portuguesa”

·         1987 - “A corte do norte”

·         1989 - “Eugénia e Silvina”

......................................................



publicado por turismoamarante às 13:00
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
27
28
29
30
31


posts recentes

www.amaranteturismo.no.sa...

O produto final

Sessão pública sobre a ba...

Anúncio da Mazda feito em...

A construção da barragem ...

Personalidades (continuaç...

Câmara Municipal de Amara...

Gastronomia

Posto de turismo

Personalidades desportiva...

arquivos

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

contador
Dubai real estate and Dubai property advice
Dubai Property
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds